Popotizados pelo Didi Mocó Sonrisal Colesterol Novalgina Mufumbo, os bolsonaristas conseguem criticar a ajuda humanitária enviada às terras Yanomamis, onde indígenas estão só o coro e o osso por falta de tudo.

Criança Yanomami desnutrida / Foto: Reprodução (Carta Capital)

"Não entendo, quer dizer que designaram uma terra maior que três países europeus para os índios mas sem cesta básica eles morrem de fome? O que é isso, zoológico? Desculpem minha ignorância", escreveu bolsolóide Tony Neto em sua conte no Twitter.

Assim como ele, uma ‘popotizado’ com o codinome Cacalima questionou o porquê que os índios não caçam, plantam e colhem. E numa resposta tão lunatizada quanto, o bolsonarista Abdiel Carvalho Pazini questionou: "Quando não tinha chegado o homem branco ao BRASIL quem dava cesta básica para os índios,? Como eles sobreviviam?"

Para defender seu “Deus Pagão”, o ex-presidente Bolsonaro, essas pessoas ficham os olhos para o sofrimento de seres humanos postos para morrer lentamente e com o máximo de sofrimento possível.

O objetivo dessa linha de defesa bolsonarista busca impedir que as pessoas saibam que o governo Bolsonaro teoricamente permitiu a morte dos de indígenas em favor de desmatadores e mineradores ilegais.

Lá em 2019 indigenistas da Funai, com o assassinado Bruno Araújo já denunciavam a ação de exploradores ilegais, que estavam levando a morte para os aldeados e para a natureza. Já em junho de 2022 a Corte Interamericana de Direitos Humanos alertou o governo Bolsonaro que a situação dos Yanomamis e de outras três etnias era de extrema gravidade.

Mesmo depois disso tudo e de muito mais, nada foi feito pelos índios ou contra os exploradores ilegais.

A ignorância dessa gente que usa essa argumentação rasa e curta, estrategicamente feita assim para entrar nas cabeças ocas, esquece que o garimpo polui a água, mata peixes, contamina a terra e quebra a cadeia alimentar natural, fora que os aldeados passaram a ser impedidos, a bala, de buscar tratamento de saúde fora das aldeias, por exemplo, pois eram testemunhas de crimes.

Beira a loucura esse tipo de argumentação diante das imagens estarrecedoras vindas das terras Yanomamis.

Sem mais comentários!