Não é de bom tom misturar religiosidade com política, mas entrando no jogo baixo que está sendo jogado, e para comentar melhor o caso: Se a mentira é mesmo uma coisa demoníaca, o pastor André Valadão se superou ao publicar a Fake News da Fake News.

Pastor André Valadão é desmentido pelo TSE / Fotomontagem do Blog

Na quarta-feira (19) o suposto pastor do cramulhão, já que usa a falsidade como instrumento do seu pastoreado, compartilhou nas suas redes sociais um vídeo, dizendo que havia recebido uma correspondência do ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, dando a entender na sequência ser uma determinação de retratação.

O homem que, pelo conceito de propriedade da mentira, parece pastorear para o Deus Inferior, se gravou com ironia e dramaticidade, desmentindo a suas próprias mentiras com acusações contra o ex-presidente e candidato a presidência, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), para simular uma invasão do tribunal para beneficiar o petista.

Tudo mentira!

O vai e vem da artimanha é complexo, não é? Isso denota um ato bem estruturado, ardil, característica também atribuída ao satanás comumente, ‘ardiloso’.

Esse enredo todo demonstra a putrefação e o mau-caratismo desses falsos religiosos que deturpam a fé e maculam as doutrinas religiosas para entrar na mente de pessoas menos informadas e crédulas em nome de um poder mundano, e forjado na obscuridade que provavelmente agrada o maligno.

Para efeito de justificativa dessa abordagem, cito o escrito no Êxodo, capítulo 20, versículo 7: “Não tomarás em vão o nome do Senhor, o teu Deus, pois o Senhor não deixará impune quem tomar o seu nome em vão”.