O PL (Partido Liberal) de Goiás vive uma realidade constrangedora ao se ver passivo na possibilidade de ter que engolir, de cima para baixo, um Vitor Hugo, como candidato a governador do estado.

Deputado Major Vitor Hugo na Câmara Federal
Foto: Reprodução (Revista Oeste)

Eleito deputado federal na “ondinha Bolsonaro”, das arminhas representadas nas mãos, o que não existe mais, Vitor Hugo aparece nas pesquisas eleitorais com apenas 2% das intenções de votos e para virar esses jogo tem apenas um “trunfo”, ser o candidato do presidente, e mais nada.

É incompreensível ver justamente a legenda que vinha se apresentando com a maior probabilidade de abrigar Gustavo Mendanha, possivelmente o grande adversário do governador Ronaldo Caiado (União Brasil), ser obrigada a balançar bandeira para um Vitor Hugo.

Na cabeça de qualquer leigo o deputado teria dificuldades até para se reeleger na Câmara Federal, imagina então o desempenho do “capachão” como candidato a governador.

Que viagem! (Tapa na desta e balançados de cabeça laterais, indicando inconformismo).