Muito abaixo do que previam, inclusive, seus adversários, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) colocou sua equipe de marketing e a mídia aliada para repercutir a adesão do estado ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF), omitindo da população, para não dizer “mentindo para a”, sobre o que de fato significa isso.

Foto: Secretaria de Estado de Comunicação – Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP)

“Adesão ao RRF marca virada em Goiás”, destacou Caiado no Site oficial do governo. Lá, já no início, a propaganda enganosa falou em deixar legado positivo, em responsabilidade fiscal sem interferência de interesses eleitorais e frisa a mentira de que, mesmo aderindo do regime, vai poder realizar concurso público e dar aumento aos servidores.

“É muita mentira em um parágrafo só.”

Primeiro é importante pontuar que o RRF vem sendo perseguido por Caiado desde quando assumiu o governo a três anos, como uma forma de oficializar sua teoria de “Terra Arrasada” na economia, supostamente deixada por seu antecessor e rival, Marconi Perillo (PSDB).

A vergonha caiadista é tão grande, que o governo precisou recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para entrar no regime, pois a Secretaria do Tesouro Nacional já tinha negado a adesão do estado ao RRF por "não se enquadrar nos critérios exigidos", ou seja, porque Goiás não estava “quebrado” quando Caiado o recebeu e como ele insiste dizer que estaria.

Mas voltando na mediocridade de comemorar a “moratória” como um grande feito do seu governo, as mentiras do primeiro parágrafo da propaganda oficial já dizem muito:

  1. O RRF veda a realização de concurso público por tempo determinado mesmo dentro do teto de gastos, pois o valor do gasto com a folha de pagamento fica congelada no momento da adesão;
  2. Também são vedados reajustes e promoções durante o mesmo período, exatamente pelo mesmo motivo;
  3. O legado do RRF vai ser uma dívida astronômica dos valores que Caiado deixar de pagar no momento, pois o Regime não suspende o juros e as correções contratuais;
  4. A três anos à frente do governo, Caiado diz que o RRF vai proporcionar “Responsabilidade Fiscal”, então quer dizer que ele não tinha essa responsabilidade? Mentiu dando um tiro no pé;
  5. Caiado diz que o RRF vai impedir que interesses eleitoreiros interfiram nas decisões fiscais do estado, mas se ele mesmo vai ser candidato ainda no comando, quer dizer que ele precisa do Regime para conter o seu EU próprio? Mais uma auto acusação.

A verdade sobre o RRF pode ser vista no Rio de Janeiro que, mesmo sendo um dos quatro estados brasileiros a se enquadrar na exigências para tal, foi o único a aderir ao Regime e passa, desde então, por dificuldades ainda pior do que antes, com salários de servidores atrasados por até três meses, a absoluta paralisia no investimento, entre outros.

Caiado na verdade precisa só de um atestado que oficialize a sua teoria de “Terra Arrasada” para justificar seu currículo vazio no tempo que comandou o estado e, de quebra, culpar seu antecessor e rival político. O resto? Que se …

O golpe está aí, cai quem quiser!