O deputado federal Daniel Silveira (PSL) tentou pular o muro de sua casa quando agentes da Polícia Federal foram cumprir a ordem de prisão contra ele, expedida pelo ministro do Supremo tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, na quinta-feira (24) a pedido da Procuradoria Geral da República.

Deputado federal Daniel Silveira (PSL) foi preso pela segunda vez por ter ameaçado ministros do STF. Ele teria violado sua tornozeleira 36 vezes, segundo a Procuradoria-Geral da República / Foto: Reprodução

A informação consta no relatório de diligência que diz que o deputado foi flagrado por um dos policiais que cercavam sua casa, com isso Silveira ‘retornou prontamente’.

Silveira teve sua prisão domiciliar reformada pelo ministro do STF em razão do parlamentar não ter pago a multa de R$ 100 mil estabelecida pelas sucessivas violações à tornozeleira eletrônica. Na decisão, Moraes disse que o deputado agiu com ‘total desrespeito à Justiça’.

Daniel Silveira foi preso inicialmente por publicar um vídeo nas redes sociais defendendo a destituição dos ministros do STF o que é inconstitucional. Em menos de dois meses, a Secretaria de Administração Penitenciária do Rio registrou 36 violações à tornozeleira, incluindo descargas, rompimento da cinta e ausência na área delimitada. Em uma das ocasiões, o equipamento ficou desligado por quase dois dias.

A Procuradoria-Geral da República (PGR), que defendeu a volta do parlamentar à prisão ou a imposição de multa pelas falhas na tornozeleira, disse em documento assinado pelo vice-procurador-geral, Humberto Jacques de Medeiros, disse que Silveira ‘afronta o sistema de Justiça’.

Na sua primeira prisão, Daniel chegou publicar nas redes sociais que iria derrubar os ministros do STF, principalmente Alexandre Moraes, mas ao contrário disso acaba preso pela segunda vez após tentar fugir pulando o muro da sua casa.